Pular para o conteúdo principal

Para onde vamos após a morte?



Muitas religiões ensinam que logo após a morte as pessoas entram num estágio de sono profundo ou até mesmo deixam de existir, até o tempo em que elas serão ressuscitadas. Os adeptos dessa ideia não acreditam na possibilidade de se estabelecer contato com os mortos, e que qualquer acontecimento desse tipo é uma enganação do diabo. Mas será que a Bíblia realmente apoia esses ensinamentos? Não, ela não apoia. E eu vou mostrar isso nas próximas linhas.

Os defensores desses ensinamentos se baseiam em textos como os seguintes:

"Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento. Também o seu amor, o seu ódio, e a sua inveja já pereceram, e já não têm parte alguma para sempre, em coisa alguma do que se faz debaixo do sol" (Almeida Corrigida e Fiel; Eclesiastes 9,5-6).

"Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura, para onde tu vais, não há obra nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma" (Almeida Corrigida e Fiel; Eclesiastes 9,10).

"Irmãos, não queremos que vocês sejam ignorantes quanto aos que dormem, para que não se entristeçam como os outros que não têm esperança. Se cremos que Jesus morreu e ressurgiu, cremos também que Deus trará, mediante Jesus e juntamente com ele, aqueles que nele dormiram" (Nova Versão Internacional; 1 Tessalonicenses 4,13-14).

"Disse isso e acrescentou: 'O nosso amigo Lázaro adormeceu. Eu vou acordá-lo'. Os discípulos disseram: 'Senhor, se ele está dormindo, vai se salvar'. Jesus se referia à morte de Lázaro, mas os discípulos pensaram que ele estivesse falando de sono natural. Então Jesus falou claramente para eles: 'Lázaro está morto" (Bíblia Pastoral; João 11,11-14).

Se essas passagens se referissem às almas dos mortos, teríamos que concordar que realmente a alma não continua a viver após a morte, mas na verdade, essas passagens se referem aos corpos das pessoas mortas e não às almas delas. Realmente os mortos não sabem coisa alguma, pois seus olhos não veem mais, seus ouvidos não escutam mais. A memória deles realmente fica entregue ao esquecimento e eles não têm mais recompensa, porque nós acabamos nos esquecendo deles e não há mais como eles serem recompensados pessoalmente aqui na terra por algo que fizeram. O seu amor, o seu ódio, e a sua inveja realmente já acabaram, pois seus cérebros pararam de funcionar. Eles realmente não participam de mais nada debaixo do sol, ou seja, na vida cotidiana da Terra, porque eles estão em sepulturas, onde realmente não há obra, nem projeto, nem conhecimento, nem sabedoria alguma. Quando olhamos para um corpo morto, vemos que ele realmente parece estar dormindo, e é por isso que nas passagens acima o apóstolo Paulo e o Senhor Jesus disseram simbolicamente que os mortos estão dormindo. O corpo realmente fica “dormindo” após a morte, mas a alma não. Isto está claro em várias passagens da Bíblia, veja:

Em Apocalipse 6,9-11, almas de fiéis mortos pedem a Deus para que ele se vingue dos que mataram seus corpos. Note que enquanto elas estavam pedindo isso, esses assassinos ainda estavam na terra juntos com outros fiéis que ainda iriam morrer.

O próprio apóstolo Paulo sabia que ele e os fiéis iriam habitar com Jesus assim que eles morressem:

"Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor" (Almeida Corrigida e Fiel; 2 Coríntios 5,8).

"Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor" (Almeida Corrigida e Fiel; Filipenses 1,23).

Em 1 Samuel 28,1-20 a Bíblia relata a aparição do espírito do profeta Samuel, após ser invocado por uma necromante. Alguns dizem que não foi Samuel quem apareceu, e sim um demônio se passando por ele, e que a profecia feita no relato não estava totalmente certa. No artigo "O dia em que o espírito do profeta Samuel apareceu para o rei Saul", eu mostro que foi realmente Samuel quem apareceu e que a profecia se cumpriu perfeitamente. 

Portanto, é possível sim entrar em contato com os mortos, principalmente através de invocação, como vimos no caso do profeta Samuel, mas Deus proibiu seu povo de fazer isso (Deuteronômio 18,10-12).

A Bíblia diz que Moisés e Elias morreram (Deuteronômio 34,7; Mateus 11,13-14; 14,3-12), mas mesmo após morrerem, eles apareceram para Jesus e falaram com ele (Mateus 17,1-8). O próprio Jesus Cristo foi pregar seu evangelho aos espíritos dos injustos que morreram no dilúvio (1 Pedro 3,18-20). Esses espíritos certamente não estavam dormindo. O texto de 1 Pedro 4,6 reconfirma que o evangelho foi pregado aos mortos. Os que defendem que a alma morre na morte interpretam que esses espíritos se referem a demônios ou aos anjos maus que desceram à Terra para corromper os homens (Gênesis 6,4-5; 2 Pedro 2,4-5). Mas a ideia de Jesus pregar o evangelho a demônios ou a anjos é muito estranha, pois eles certamente já sabiam muito bem desde a criação do mundo sobre o futuro evangelho de Jesus. Os seres humanos é que não sabiam muito bem sobre esse evangelho, principalmente os que morreram no dilúvio. Ainda há quem interprete que Jesus pregou pela boca de Noé, através do Espírito Santo, aos injustos da época sobre o iminente dilúvio. Mas fazer essa interpretação é ir longe demais para tentar dar uma explicação a esse texto, pois lemos simplesmente que Jesus “foi e pregou aos espíritos em prisão, os quais foram desobedientes... quando a arca estava sendo preparada”, ou seja, muito provavelmente trata-se das pessoas que morreram no dilúvio, as quais foram desobedientes aos mandamentos de Deus. Além disso, em 1 Pedro 4,6 vemos que o que foi pregado foi o evangelho, e não o iminente dilúvio.

Em Lucas 16,19-31 Jesus contou uma parábola de dois homens que assim que morreram continuaram a viver em outro lugar. Um foi para o paraíso e o outro foi para o inferno. Repare na parábola que o rico estava falando e não dormindo, e que enquanto ele estava no inferno, as pessoas estavam vivendo normalmente na Terra, pois ele pediu que Abraão enviasse Lázaro à casa de seus irmãos para alertá-los, para que eles não fossem para aquele lugar de tormento. Repare também que Abraão, que já havia morrido há muito tempo, não estava dormindo, mas sim falando com o rico. Se o inferno e situações como as da parábola existem, Jesus deu uma interessante explicação sobre a vida após a morte.

Veja a seguinte passagem da Bíblia:

"Não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Temei antes aquele que pode destruir a alma e o corpo na geena" (Bíblia de Jerusalém; Mateus 10,28).

Essa passagem deixa claríssimo que mesmo que os assassinos matem o corpo de uma pessoa, eles não podem matar sua alma, o que dá a entender claramente que a alma dela continua a viver após a morte.

A seguinte passagem mostra claramente que a alma sai do corpo no momento da morte:

"E partiram de Betel; e havia ainda um pequeno espaço de terra para chegar a Efrata, e deu à luz Raquel, e ela teve trabalho em seu parto. E aconteceu que, tendo ela trabalho em seu parto, lhe disse a parteira: Não temas, porque também este filho terás. E aconteceu que, saindo-se-lhe a alma (porque morreu), chamou-lhe Benoni; mas seu pai chamou-lhe Benjamim" (Almeida Corrigida e Fiel; Gênesis 35,16-19).

Alguns interpretam que a palavra “alma” usada nesse texto se refere simplesmente à “vida” da pessoa que morreu, e não a uma parte dela que sobreviveu após sua morte. Porém, como já mostrei, quando uma pessoa morre, sua alma continua a viver (Mateus 10,28). Portanto, esse texto muito provavelmente está se referindo à alma da pessoa, ou seja, a parte dela que continuou a viver após sua morte.

O fato de a alma continuar a viver após a morte no paraíso ou no inferno não contradiz a doutrina bíblica da “retribuição a cada um segundo suas obras” após a ressurreição, porque na verdade, as almas não vão para o paraíso ou para o inferno para receber sua retribuição, mas apenas para esperar o Julgamento Final. O inferno pode ser comparado às prisões nada agradáveis que temos aqui na Terra, onde os maus ficam à espera do julgamento no tribunal. E o paraíso pode ser comparado à situação das pessoas boas que esperam confortavelmente em suas casas o dia do julgamento de suas causas.

É importante ressaltar que acreditar em vida após a morte no paraíso ou no inferno não é de maneira nenhuma estar de acordo com a doutrina espírita, mas é apenas ter uma visão semelhante (mas não igual) aos espíritas sobre vida após a morte. De qualquer forma, o pecado da doutrina espírita não é acreditar que as pessoas continuam vivendo como espíritos após a morte, mas sim acreditar que Deus não vê problema algum na comunicação com espíritos em geral. Nisso eles estão muito enganados, pois Deus condena severamente o contato com pessoas mortas ou outros espíritos, conforme Deuteronômio 18,9-12.

Experiências de quase morte (EQMs)

Experiências de quase morte (EQMs) são praticamente uma prova de que a alma continua a viver logo após a morte. Há relatos impressionantes de pessoas que viram tudo o que estavam fazendo com seus corpos enquanto elas estavam clinicamente mortas e com os olhos fechados. E muitas delas contam que foram para um lugar quente e atormentador, enquanto outras contam que foram para um lugar de muita paz e alegria. Pesquise sobre o assunto e você vai se surpreender.

Quem morreu na época de Adão e Eva e acabou indo para o inferno não está em desvantagem em relação a quem vai para o inferno ao morrer hoje ou em qualquer data futura, pois as pessoas que passaram por experiências de quase morte relatam que durante suas experiências não havia a noção de tempo. Muitos permaneceram clinicamente mortos durante poucos minutos e contaram experiências que aparentemente duraram horas ou dias. Portanto, uma pessoa que morreu há milhares de anos pode ter a mesma impressão de duração da experiência de alguém que morreu hoje ou ainda vai morrer.

Conclusão

Após a morte, as pessoas boas são levadas por anjos para o paraíso (conforme vimos na parábola de Lázaro), onde esperarão a ressurreição para a vida eterna, e as más vão para o inferno, para esperarem a ressurreição para a condenação (João 5,26-29).

Comentários

  1. Irmão não concordo com seu entendimento,mas não o julgo por isto, pois isto forma a teologia...varios estudos,varias ideias...Só não acho serto vc querer que seu entendimento prevaleça e queira obrigar os outros a esyar na mesma linha de entendimeto que vc...entenda! Vc tem um entendimento eu tenho outro(sal e samuel). Mas cabe a mim e a vc pregar ensinar...Não a obrigar...se vc estar serto ou errado é vc e Deus,da mesma maneira os demais teólogos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Pr. Danilo. Eu não quero obrigar ninguém a aceitar minha interpretação dos assuntos bíblicos. Apenas quero alertar meus leitores sobre o que eu creio ser o correto. Que Deus abençoe você e sua família.

      Excluir
    2. Concordo com vc Bruno dimitrius e confesso que estou perplexica com tal descoberta.creio em tudo que li por que está tudo provado na Bíblia. Que DEUS o abençoe.

      Excluir
    3. Amém Márcia, que Deus abençoe você e sua família.

      Excluir
  2. Eu não acredito nas experiências após morte,hoje em dia as pessoas fazem tudo por dinheiro todos mentem já vi até crianças falando que foram ao céu e inferno como Ester que estava doente tem ela no youtube uma criança mentindo ao mundo por causa dos pais,uma coreana que pintou várias ´´torturas´´ no suposto inferno dizendo sobre a televisão é coisa do demonio,os demonios torturando mãe e filho porque a mãe amava mais o filho do que Deus um monte de bobagens,acho que a única vez que veremos algo verdadeiro seja quando alguém que postar algo ao mundo não ganhar dinheiro ou trabalho em cima disso.Que vc continue escrevendo seus artigos muita alegria e paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo seu ponto de vista anônimo, mas não se esqueça que o fato de algumas pessoas mentirem não significa que todos os que relatam experiências de quase morte estejam mentindo também, muitos podem estar falando a verdade. Algumas pessoas relatam com precisão coisas que aconteceram enquanto elas estavam dadas como clinicamente mortas e depois seus relatos foram verificados como verdadeiros. É algo que intriga até mesmo cientistas e médicos. Há inclusive um estudo médico em escala mundial chamado AWARE que estuda as experiências de quase morte a fim de verificarem se elas realmente evidenciam a existência do estado de consciência após a morte. Pesquise sobre isso e você irá se surpreender. Continuarei sim escrevendo mais artigos, obrigado pelo incentivo.

      Excluir
  3. jônatas vianelle24 de julho de 2017 03:41

    concordo com voçe BRUNO DIMITRIUS DEUS tem um lugar para seus filhos mas DEUS remira a minha alma du poder da sepultura pois mi recebera'salmo 49;15 um abraço fica com DEUS parabéns pelo estudo obrigado


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado e de nada Jônatas, que Deus abençoe você e sua família!

      Excluir
  4. Porque tem religião que
    declara com muita convicção que ao morrer as pessoas apenas deixam de existir e também não há céu ou inferno já que
    Jeová não jogaria ninguém lá porque Ele é amor ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque essas religiões interpretam erroneamente as passagens que expliquei neste artigo. Além disso, elas não conseguem aceitar a ideia da alma ir viver num paraíso após a morte e muito menos um Deus amoroso punindo filhos rebeldes no inferno.

      Excluir
  5. Concordo com voçe bruno dimitrius.isso e' certo porque DEUS não criou a raça humana para ficar no esquecimento.sobre a parábola do rico e lazaro o exegata antonio Gilberto qui e' tradutor das escrituras afirmou o seguinte;e' oportuno dizer aqui que essa passagen não e' uma parábola.o titulo informando que e' uma parábola vem dos editores da bíblia mas não consta do original parábola e' uma modalidade de narração em que não aparece nomes de pessoas.alem disso o verbo como esta' empregado no versículo 19 denota por sua vez um fato real.DEUS tem um lugar para seus filhos.

    ResponderExcluir
  6. Amado Bruno , felicidades na tua missão de ensinar o povo do sr. dos exércitos ! procurei uma base teórica ,para dar um estudo bíblico na minha igreja,aqui em Angola . Achei correto os teus ensinos e me sirvo deles para o meu meu próximo estudo bíblico sobre a “ morte”. Acredito , sim que existe vida ,após a morte. Quero aprender muito consigo,sou pioneiro neste caminho. Meu desejo é tornar-me num grande pregador , se Deus assim querer. Mas , antes quero estudar muito a palavra do Sr. O meu i-mail é joaquim.maiena@gmail.com Que Deus te abençoe!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Joaquim! Que Deus te abençoe em sua caminhada e que você possa ainda ensinar a muitos!

      Excluir
  7. Nos estudos q fiz, descobri q o inferno mesmo não existe (o lugar) mas sim q essa palavra se referiu a geena. Em relação a espírito. Tudo q escreveu foi diretamente com Cristo. Na bíblia não há relatos de espírito q apareceu para pessoas normais. As q morreram e foram Ressucitadas voltaram a vida pois foram RESSUCITADAS e não apareceram em espírito. Vc acreditar nessas coisas é ser da doutrina espírita e respeito, mas não tem a ver com a doutrina cristã. O q vc colocou sobre as almas pedirem vingança, elas pediram diretamente a Deus, e não para qualquer pessoa! E mesmo ao final da visão Deus ordena q voltem ao descanso...então acredito através da palavra q eles não tem parte conosco em nada até a ressurreição de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tatiane, vou responder seu comentário por partes.

      "Nos estudos q fiz, descobri q o inferno mesmo não existe (o lugar) mas sim q essa palavra se referiu a geena."

      Tudo bem, siga sua convicção, você decidiu acreditar no que esse estudo ensinou sobre o inferno. Eu particularmente creio que ele existe sim. O próprio Jesus citou o inferno na parábola-história do rico e o Lázaro, como mostrei neste artigo.

      "Em relação a espírito. Tudo q escreveu foi diretamente com Cristo. Na bíblia não há relatos de espírito q apareceu para pessoas normais"

      Na verdade há sim. Não se esqueça do espírito do profeta Samuel aparecendo para Saul que mostrei neste artigo, e ainda coloquei um link com o artigo que esclarece melhor essa passagem.

      "As q morreram e foram Ressucitadas voltaram a vida pois foram RESSUCITADAS e não apareceram em espírito".

      Em nenhum momento eu disse que as pessoas ressuscitadas apareceram em espírito. E em nenhum momento a Bíblia diz que Moisés e Elias ressuscitaram antes de aparecer para Jesus. Nesse caso eles muito provavelmente apareceram em espírito para Jesus, já que eles estavam mortos na época de Cristo e não há relato da ressurreição deles.

      "Vc acreditar nessas coisas é ser da doutrina espírita e respeito, mas não tem a ver com a doutrina crista."

      Acreditar em vida após a morte no paraíso ou no inferno não é de maneira nenhuma ser da doutrina espírita, mas é apenas ter uma visão semelhante (mas não igual) aos espíritas sobre vida após a morte. De qualquer forma, o pecado da doutrina espírita não é acreditar que as pessoas continuam vivendo como espíritos após a morte, mas sim acreditar que Deus não vê problema algum na comunicação com espíritos em geral. Nisso eles estão muito enganados, pois Deus condena severamente o contato com pessoas mortas ou outros espíritos, conforme Deuteronômio 18,9-12.

      "O q vc colocou sobre as almas pedirem vingança, elas pediram diretamente a Deus, e não para qualquer pessoa! E mesmo ao final da visão Deus ordena q voltem ao descanso...então acredito através da palavra q eles não tem parte conosco em nada até a ressurreição de todos."

      O fato de essas almas terem pedido diretamente para Deus é uma prova de que descansar após a morte não significa ficar dormindo inconsciente esperando a ressurreição, mas significa ficar ao lado de Deus, consciente da maldade presente no mundo e podendo falar abertamente com ele esperando que a justiça seja feita na Terra. Não se engane achando que nessa passagem os mortos simplesmente acordaram de seu descanso só para reclamar por justiça perante Deus e depois voltaram a dormir! Que Deus abra sua mente para que você aceite a realidade da vida após a morte.

      Excluir

Postar um comentário

Artigos mais visitados deste blog

Deus castiga

Um grande engano de muitas pessoas é achar que Deus não castiga ninguém. Essas pessoas alegam que Deus não castiga porque ele é amor, e que na verdade tudo de ruim que acontece com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações.
Elas explicam que muitas pessoas adquirem câncer porque fumam muito, outras adquirem várias doenças porque se alimentam mal, outras sofrem acidentes porque se arriscam desnecessariamente, ou seja, não é Deus que está castigando essas pessoas, mas elas mesmas cometem maus atos que causam essas coisas ruins a elas.
É verdade que muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações, mas, de qualquer maneira, Deus permite que essas pessoas sofram essas consequências, e só essa permissão já pode ser considerada um castigo dele, pois ele poderia livrá-las dessas consequências.
Além disso, muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas não são consequências lógicas de suas más ações. Por exemplo: uma pessoa está anda…

A Lei do Velho Testamento foi abolida?

Muitas pessoas alegam que não precisamos cumprir mais nada da Lei de Moisés, e que só devemos cumprir o que está no Novo Testamento, porque, segundo elas, Jesus aboliu a Lei de Moisés. No entanto, eu vou mostrar neste artigo que não é bem isso o que a Bíblia diz.

Essas pessoas se apoiam principalmente nas seguintes passagens escritas pelo apóstolo Paulo:

"Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar …

É pecado fazer sexo antes do casamento?

Muitos jovens cristãos vivem um dilema sobre sexo antes do casamento. Muitos deles sofrem pressão dos amigos e até mesmo de familiares para perderem a virgindade. Alguns acabam caindo na tentação, enquanto outros decidem permanecer puros até o dia do casamento. Outros passam anos namorando porque não conseguem ou não querem se casar. Mas o que será que a Bíblia diz sobre esse assunto?

A Bíblia fala muito pouco sobre sexo antes do casamento. Mas por que será? Talvez seja porque os homens judeus, que eram o público-alvo dos escritores do Velho Testamento, não costumavam fazer sexo antes do casamento, pois se casavam cedo e, muitas vezes, com mais de uma mulher, e tinham uma vida sexual muito ativa. Isso pode ter tornado o sexo antes do casamento um assunto desnecessário na época.

Já os escritores do Novo Testamento escreviam para pessoas de nações onde o sexo antes do casamento era comum, mas eles também não falaram especificamente sobre o assunto. Então, como saber se é pecado fazer s…