Por que Deus permite o sofrimento?



Há vários motivos que justificam o fato de Deus permitir o nosso sofrimento:

- Às vezes sofremos para que outras pessoas tenham a oportunidade de praticar a caridade com a gente. Como é que poderíamos praticar a caridade se ninguém sofresse? Tragédias, pobreza, fome e muitos outros sofrimentos são oportunidades para outras pessoas praticarem o amor, a misericórdia e a bondade.

- Às vezes sofremos porque nós merecemos sofrer. Ou seja, muitos de nossos sofrimentos são castigos de Deus devido a pecados que cometemos (Jeremias 11,22; 21,14; Gênesis 6,11-17; 19,24-25; Hebreus 10,26-31; Apocalipse 2,18-23; Deuteronômio 28,15-68). 

- Às vezes Deus põe à prova nossa fé e nosso amor por ele, assim como fez com Jó (Jó 1-2), para que fique provado que nós continuamos amando-o e tendo fé nele mesmo passando por um sofrimento que não merecemos, ou para que fique provado que nós só o “amamos e temos fé nele” quando as coisas estão indo bem em nossa vida.

- Às vezes somos usados por Deus para que outras pessoas sofram também como castigo ao nos verem numa situação ruim. Por exemplo: Deus matou o bebê que nasceu do adultério de Davi para que Davi sofresse isso como uma forma de castigo (2 Samuel 12,13-18).

- Às vezes somos usados por Deus para que a fé de outras pessoas seja testada no momento em que elas nos virem numa situação ruim. Por exemplo: Deus permitiu que os dez filhos de Jó morressem em um único dia para que a fé dele fosse posta à prova (Jó 1-2).

- Às vezes somos usados para que se manifeste em nós um milagre de Deus, assim como aconteceu no caso de um homem que nasceu cego só para que um dia ele fosse curado por Jesus, permitindo assim que a crença em Jesus aumentasse e Deus fosse glorificado (João 9,1-7).

É importante ressaltar que Deus vai recompensar todos os que passam por sofrimentos que não merecem, e isso será feito enquanto eles ainda estiverem em vida ou após a morte deles. O justo Jó que foi posto à prova foi recompensado em dobro ainda em vida (Jó 42,10-17), e ele certamente reencontrou seus filhos no paraíso após a morte. O pobre Lázaro da parábola de Jesus sofreu muito aqui na Terra, assim como muitos sofrem e já sofreram, mas quando morreu, foi levado pelos anjos ao paraíso (Lucas 16,19-31).

Finalmente, não podemos nos esquecer de que um dia Deus vai acabar com o sofrimento de uma vez por todas, veja:

"E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido. E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus. E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas" (Almeida Corrigida e Fiel; Apocalipse 21,1-4).

Comentários

  1. Bruno,eu gostaria de saber sua opinião,vc acha que se Jó tivesse falado contra Deus porque ele o provou ,seria justo Jó ser condenado ao inferno levando em consideração que ele era um homem íntegro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei se Deus faria isso com Jó, mas se ele fizesse eu seria obrigado a achar justo, pois Deus nunca comete injustiça.

      Excluir
  2. Depois de Cristo ser crucificado por nossos pecados ainda assim Deus nos castiga por bel prazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Bento, nenhuma passagem da Bíblia diz que Deus castiga por prazer. Pelo contrário, a Bíblia deixa claro que Deus não sente prazer nem mesmo com a morte dos injustos, leia Ezequiel 33,11. Porém, como justo juiz que Deus é, ele não deixará ninguém impune. Portanto, mesmo após o sacrifício de Cristo, Deus continua castigando os pecadores que não se arrependem, como mostrei nas passagens do Novo Testamento que citei no presente artigo.

      Excluir

Postar um comentário