Pular para o conteúdo principal

Os cristãos precisam orar o Pai Nosso?



O Pai Nosso é provavelmente a oração mais conhecida do mundo. Ele é orado por milhões de pessoas todos os dias. No entanto, muitas religiões, tais como as Testemunhas de Jeová, ensinam que os cristãos não têm obrigação de orar o Pai Nosso, e que o costume de orá-lo com frequência é uma prática que desagrada a Deus.

Essas religiões afirmam que Jesus ensinou o Pai Nosso apenas como um exemplo de como os cristãos devem orar, ou seja, apenas como uma oração modelo, e não como uma oração oficial que devemos repetir sempre que formos orar, e que aqueles que oram o Pai Nosso todos os dias estão desrespeitando um mandamento do próprio Senhor Jesus, o qual ensinou que não devemos ficar repetindo palavras nas nossas orações. Mas será que é isso mesmo o que a Bíblia ensina?

Pai Nosso: uma oração modelo ou uma oração oficial?

Vamos analisar primeiramente as duas passagens bíblicas que registram a oração, que são as seguintes:

“Jesus viu as multidões, subiu à montanha e sentou-se. Os discípulos se aproximaram, e Jesus começou a ensiná-los [...] Quando vocês rezarem, não usem muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por causa do seu palavreado. Não sejam como eles, pois o Pai de vocês sabe do que é que vocês precisam, ainda antes que vocês façam o pedido. Vocês devem rezar assim: Pai nosso, que estás no céu, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu. Dá-nos hoje o pão nosso de cada dia. Perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal [...] Quando Jesus acabou de dizer essas palavras, as multidões ficaram admiradas com o seu ensinamento” (Bíblia Pastoral; Mateus 5,1-2. 6,7-13. 7,28).


“Certo dia Jesus estava orando em determinado lugar. Tendo terminado, um dos seus discípulos lhe disse: ‘Senhor, ensina-nos a orar, como João ensinou aos discípulos dele’. Ele lhes disse: ‘Quando vocês orarem, digam: ‘Pai! Santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano. Perdoa-nos os nossos pecados, pois também perdoamos a todos os que nos devem. E não nos deixes cair em tentação" (Nova Versão internacional; Lucas 11,1-4). 

A verdade é que Jesus ensinou o Pai Nosso aos seus discípulos não como um exemplo de como se deve orar, mas sim como uma oração oficial que eles deveriam repetir toda vez que fossem orar. E os motivos para chegarmos a essa conclusão são os seguintes:

- Como você pode observar, os evangelhos mostram Jesus ensinando o Pai Nosso em duas ocasiões diferentes: uma durante o Sermão da Montanha, quando ele estava com os discípulos e uma multidão, e outra quando ele estava sozinho com os discípulos em um outro lugar. Nas duas ocasiões, Jesus montou o Pai Nosso usando as mesmas palavras. Se ele estivesse querendo apenas dar um exemplo de como orar, ele muito provavelmente não se preocuparia em montar a oração usando as mesmas palavras. Afinal, seria só um exemplo de como orar. Ele poderia inventar quaisquer frases, não necessariamente as mesmas.

- Jesus montou o Pai Nosso de uma forma que seus seguidores pudessem cumprir o que ele mesmo ordenou nas seguintes passagens:

"Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem" (Bíblia de Jerusalém; Mateus 5,44).

"Bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam" (Almeida Corrigida e Fiel; Lucas 6,28).

"E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados" (Nova Versão internacional; Marcos 11,25).

Ao dizer: “assim como nós perdoamos aos nossos devedores”, você está cumprindo todos estes três mandamentos, pois você está orando pelos que lhe fazem mal, e ainda está deixando claro para Deus que você os perdoa.

E ao orar o Pai Nosso completo, você também está cumprindo este mandamento de orar pelas pessoas que lhe fazem mal, pois você não diz: "perdoe as minhas dívidas", mas sim "perdoe as nossas dívidas". Você também não diz: "o pão meu de cada dia dá-me hoje", mas sim "o pão nosso de cada dá-nos hoje". 

E quanto à alegação de que é errado orar o Pai Nosso todos os dias?

Essa alegação é baseada no seguinte mandamento de Jesus:

"E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes" (Almeida Corrigida e Fiel; Mateus 6,7-8).

Acontece que quem ora o Pai Nosso todos os dias não está transgredindo esse mandamento. O próprio Senhor Jesus, quando estava prestes a ser preso, repetiu as mesmas palavras em algumas das vezes que ele orou, veja:

"Afastando-se de novo pela segunda vez, orou: 'Meu Pai, se não é possível que esta taça passe sem que eu a beba, seja feita a tua vontade!' E ao voltar de novo, encontrou-os dormindo, pois seus olhos estavam pesados de sono. Deixando-os, afastou-se e orou pela terceira vez, dizendo de novo as mesmas palavras" (Bíblia de Jerusalém; Mateus 26,42-44).  

O que Jesus quis dizer ao nos ordenar a não usar repetições ao orar é que não devemos ficar repetindo várias vezes as mesmas palavras em uma única oração, achando que Deus nos ouvirá só porque estamos falando demais. Por exemplo: uma pessoa se ajoelha e começa a orar da seguinte maneira: 

"Deus Todo-poderoso, me ajude a conseguir esse emprego. Deus Todo-poderoso, me ajude a conseguir esse emprego. Deus Todo-poderoso, me ajude a conseguir esse emprego. Deus Todo-poderoso, me ajude a conseguir esse emprego. Deus Todo-poderoso, me ajude a conseguir esse emprego..." 

Você acharia legal alguém falar com você dessa maneira? Deus não deve achar agradável quando falam com ele assim. Como Jesus bem nos lembrou, Deus sabe muito bem do que nós precisamos antes mesmo de nós pedirmos. Não precisamos ficar repetindo várias vezes seguidas o que queremos. Essa forma repetitiva de falar com Deus é um desrespeito a sua onisciência. E é essa forma de orar que Jesus condenou.

E quanto ao fato de o Pai Nosso não ser citado em nenhuma outra parte do Novo Testamento?

O fato de o Pai Nosso não ser mencionado em nenhuma outra parte do Novo Testamento, a não ser nos evangelhos de Mateus e Lucas, não significa necessariamente que os apóstolos não costumavam orá-lo, e nem que ele não tenha tido importância no cristianismo primitivo. Afinal, o Pai Nosso pode ter sido assunto de um outro livro que foi perdido. E mesmo que ele nunca tenha sido mencionado em outro livro, isso não exclui a possibilidade de ele ter sido parte fundamental nos cultos dos primeiros cristãos. Portanto, orar o Pai Nosso é um mandamento de Jesus para nós cristãos.

Comentários

  1. muito. bom...simples e compreensível. Parabéns. Aprendi mais um pouco do nosso modo de viver para agradar ao Pai. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada Maria, e parabéns pelo seu interesse em agradar nosso Deus Pai.

      Excluir
  2. Bruno,eu gostaria de saber quantas vezes devo orar ao dia? Se eu orar a Jesus estarei incomodando ele?Ele é humano com necessidades como as nossas?Se orarmos aos anjos que estão a bíblia ou ao nosso próprio anjo da guarda estaremos errando? Obrigada por sua atenção.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, o ideal é você orar três vezes ao dia, como faziam o rei Davi e o profeta Daniel (você pode conferir isso em Salmos 55,16-17 e Daniel 6,10). O próprio Jesus ensinou que devemos orar ao Pai dele e nosso Pai. Devemos orar dizendo: "Pai nosso que estás nos céus...". Jesus foi humano enquanto esteve aqui na Terra em carne e osso, mas hoje ele é um espírito e, assim como Deus e os anjos, ele não passa mais pelas mesmas necessidades que passamos. Não devemos orar aos anjos mencionados na Bíblia e nem ao nosso anjo da guarda, mas sim ao próprio Deus Pai, como Jesus nos ensinou. Fique com Deus!

      Excluir

Postar um comentário

Artigos mais visitados deste blog

Deus castiga

Um grande engano de muitas pessoas é achar que Deus não castiga ninguém. Essas pessoas alegam que Deus não castiga porque ele é amor, e que na verdade tudo de ruim que acontece com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações.
Elas explicam que muitas pessoas adquirem câncer porque fumam muito, outras adquirem várias doenças porque se alimentam mal, outras sofrem acidentes porque se arriscam desnecessariamente, ou seja, não é Deus que está castigando essas pessoas, mas elas mesmas cometem maus atos que causam essas coisas ruins a elas.
É verdade que muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações, mas, de qualquer maneira, Deus permite que essas pessoas sofram essas consequências, e só essa permissão já pode ser considerada um castigo dele, pois ele poderia livrá-las dessas consequências.
Além disso, muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas não são consequências lógicas de suas más ações. Por exemplo: uma pessoa está anda…

A Lei do Velho Testamento foi abolida?

Muitas pessoas alegam que não precisamos cumprir mais nada da Lei de Moisés, e que só devemos cumprir o que está no Novo Testamento, porque, segundo elas, Jesus aboliu a Lei de Moisés. No entanto, eu vou mostrar neste artigo que não é bem isso o que a Bíblia diz.

Essas pessoas se apoiam principalmente nas seguintes passagens escritas pelo apóstolo Paulo:

"Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Mas agora em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar …

É pecado fazer sexo antes do casamento?

Muitos jovens cristãos vivem um dilema sobre sexo antes do casamento. Muitos deles sofrem pressão dos amigos e até mesmo de familiares para perderem a virgindade. Alguns acabam caindo na tentação, enquanto outros decidem permanecer puros até o dia do casamento. Outros passam anos namorando porque não conseguem ou não querem se casar. Mas o que será que a Bíblia diz sobre esse assunto?

A Bíblia fala muito pouco sobre sexo antes do casamento. Mas por que será? Talvez seja porque os homens judeus, que eram o público-alvo dos escritores do Velho Testamento, não costumavam fazer sexo antes do casamento, pois se casavam cedo e, muitas vezes, com mais de uma mulher, e tinham uma vida sexual muito ativa. Isso pode ter tornado o sexo antes do casamento um assunto desnecessário na época.

Já os escritores do Novo Testamento escreviam para pessoas de nações onde o sexo antes do casamento era comum, mas eles também não falaram especificamente sobre o assunto. Então, como saber se é pecado fazer s…