Pular para o conteúdo principal

Sim, João Batista era Elias



Como a Bíblia indica que não existe reencarnação, muitos cristãos interpretam que João Batista, que, para quem sabe, foi o homem que batizou Jesus Cristo, não pode ter sido Elias, mas sim um profeta com a mesma unção de Elias. Mas o fato é que essa interpretação se contradiz com a Bíblia, pois Deus é claro em Malaquias 4,5-6, veja:

"Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição" (Almeida Corrigida e Revisada Fiel).

Ou seja, era realmente Elias quem apareceria em cena novamente, e não um outro profeta com a mesma unção de Elias, pois caso contrário Deus teria dito: "Eis que eu vos enviarei um profeta com a mesma unção do profeta Elias". Jesus também foi claríssimo:

"E, se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir" (Mateus 11,14; Almeida Corrigida e Revisada Fiel).

E também:

"Mas eu lhes digo: Elias já veio, e eles não o reconheceram, mas fizeram com ele tudo o que quiseram. Da mesma forma o Filho do homem será maltratado por eles'. Então os discípulos entenderam que era de João Batista que ele tinha falado" (Mateus 17,12-13; Nova Versão Internacional).

Nós cristãos não precisamos ficar preocupados em aceitar que João era Elias, pois isso não significa de forma alguma que existe reencarnação, pois para haver uma reencarnação é preciso que a pessoa reencarnada tenha morrido antes de reencarnar, e o fato é que Elias ainda não havia morrido quando reapareceu como João Batista aqui na Terra. O que aconteceu é que João era realmente o profeta Elias assumindo temporariamente uma outra forma corporal e um outro nome, e esse milagre aconteceu de uma forma que só Deus sabe explicar. Eu digo temporariamente porque Elias voltou a aparecer no episódio da transfiguração, veja:

"Seis dias depois, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago, e os levou, em particular, a um alto monte. Ali ele foi transfigurado diante deles. Sua face brilhou como o sol, e suas roupas se tornaram brancas como a luz. Naquele mesmo momento apareceram diante deles Moisés e Elias, conversando com Jesus" (Mateus 17,1-3; Nova Versão Internacional).

Esse episódio ocorreu após a morte de João Batista (cf. Mateus 14,3-12). Repare que nesse episódio não apareceu nenhuma pessoa chamada João Batista, mas apenas Elias, Moisés e Jesus.

Alguns cristãos argumentam que João não pode ter sido Elias porque o próprio João disse que ele não era Elias, veja:

"Perguntaram-lhe: 'Quem és, então? És tu Elias?' Ele disse: 'Não o sou [...]" (João 1,21; Bíblia de Jerusalém).

Acontece que Jesus e João não revelavam para todo mundo quem eles eram, eles deixavam essa revelação apenas aos mais íntimos, veja:

"E vocês, o que dizem?', perguntou. 'Quem vocês dizem que eu sou?' Pedro respondeu: 'O Cristo de Deus'. Jesus os advertiu severamente que não contassem isso a ninguém" (Lucas 9,20-21; Nova Versão Internacional).

"Vendo Jesus, os espíritos maus caíam a seus pés gritando: 'Tu és o Filho de Deus!' Mas Jesus ordenava severamente para não dizerem quem ele era" (Marcos 3,11-12; Bíblia Edição Pastoral).

"Então mandou aos seus discípulos que a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo" (Mateus 16,20; Almeida Corrigida e Revisada Fiel).

É por isso que João negou ser Elias. Porém, como vimos, Jesus revelou que João era Elias sim. Além disso, se João não tivesse sido Elias, teríamos que concluir que o profeta Elias ainda não veio, e que, portanto, a profecia que anunciava seu retorno como algo que aconteceria antes da chegada do Messias era falsa, e mais: teríamos que concluir que Jesus estava errado quando disse que Elias já veio. Portanto, João Batista era de fato Elias.

Comentários

  1. Olá Bruno.
    Achei interessante o seu texto e o que tenho a dizer é que realmente o assunto em questão não prova a chamada reencarnação, como foi bem explanado por você e como nos ensina as escrituras.
    Agora quanto a questão de João ser ou não Elias, ele não o era, como o próprio João falou. Afinal como um profeta pode mentir? Caso ele apenas não quisesse revelar quem era, poderia apenas ter ficado calado como o próprio Cristo fez no episódio com os sumos sacerdotes em duas ocasiões, e mesmo assim logo depois Ele revelou a eles quem era e a muitos que não eram íntimos, como em João 4, João 10, Marcos 14, Marcos 15. Por causa das leis e da perseguição que sofreria rapidamente caso Jesus ja espalhasse em que Ele era realmente, pedia e exigia discrição no início. mas João Batista nunca pediu isso.
    Mas ele João não é Elias da forma como compreenderam a profecia de Malaquias. Afinal o próprio João gritava aos quatro ventos que era a voz que clama no deserto, pregando o batismo e o arrependimento para remissão dos pecados, preparando o povo para a vinda do Salvador, como em João 1 e Lucas 3, cumprindo assim as profecias.
    Você disse que "muitos Cristão interpretam que João Batista,... não pode ter sido Elias, mas sim um profeta com a mesma unção de Elias." Veja bem o que diz o anjo do Senhor em Lucas 1,17: "... e irá adiante de Deus com o espírito e poder de Elias para reconduzir os corações dos pais aos filhos e os rebeldes à sabedoria dos justos, para preparar ao Senhor um povo bem disposto." Complementando essas palavras, Jesus afirma que João é o Elias que devia voltar, conforme foi preparado por Deus para realizar tudo o que fez com poder e essência de Elias (da mesma forma como foi concedido a Eliseu quando pediu um porção do espírito de Elias), cumprindo as profecias; e não que João era exatamente o mesmo Elias do passado.
    Bem, aí está minha contribuição para o bom entendimento do assunto. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Amilton, respeito e entendo seu ponto de vista, mas as palavras do próprio Deus nosso Pai foram muito claras em Malaquias 4,5-6: "Eis que eu vos enviarei o profeta Elias ... e ele converterá ...". Deus não disse que enviaria alguém com a mesma unção de Elias, mas sim o próprio Elias, e que ele converteria as pessoas. Depois ainda temos Jesus dizendo claramente que Elias já veio, e não que alguém com a mesma unção de Elias veio. Enfim, são passagens que favorecem muito a interpretação de que João era de fato o profeta Elias. 

      Além disso, um profeta de Deus pode mentir sim se Deus assim quiser. Leia o capítulo 22 de 1 Reis e você verá que Deus pôs um espírito de mentira na boca de vários profetas e até mesmo o profeta Micaías profetizou uma mentira ao rei de Israel dizendo que ele sairia vitorioso numa batalha sendo que na verdade Israel seria derrotado.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O grave pecado do sexo no período menstrual

Fazer sexo durante o período menstrual é um pecado grave. Deus instituiu uma lei proibindo essa prática, veja:
"Não se aproxime de uma mulher para se envolver sexualmente com ela quando ela estiver na impureza da sua menstruação" 
(Levítico 18:19; Nova Versão Internacional).
Deus chegou até a determinar a pena de morte para os casais que fizessem sexo durante a menstruação, veja:
"Se um homem dormir com uma mulher durante a menstruação, e tiver relações sexuais, descobrindo a fonte do sangue, os dois serão eliminados do seu povo"
(Levítico 20:18; Edição Pastoral).
Embora a pena de morte por esse pecado não seja mais aplicada da forma como era aplicada nos tempos bíblicos, Deus ainda pode aplicá-la hoje em dia por meio de doenças ou outras tragédias. Portanto, nós devemos tomar muito cuidado para não cometermos esse pecado grave.

Mesmo assim, muitos casais cristãos não veem problema algum em ter relações sexuais durante o período menstrual, inclusive vários médicos a…

Os mandamentos que devemos cumprir segundo a Bíblia

Ame a Deus com todo o seu coração, e com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento, e com todas as suas forças (Deuteronômio 6:5; Marcos 12:28-30).Não tenha outros deuses (Êxodo 20:3; 1 João 5:21).Não faça para você alguma imagem esculpida que represente um deus. Não se prostre diante dessas imagens e nem diante do Sol, da Lua e das estrelas, e não os sirva (Êxodo 20:4-5; Deuteronômio 4:19; 1 João 5:21).Não use o nome de Deus em vão, isto é, não use o nome de Deus para fazer um falso juramento ou para mentir, pois Deus não considerará inocente aquele que usar seu nome em vão. É importante notar que o nome de Deus não é "Deus", mas sim Javé. No entanto, mesmo que você faça um falso juramento sem usar especificamente o nome de Javé, dizendo, por exemplo, "Juro por Deus que vou fazer isso" ou "Juro por Deus que isso aconteceu", e você estiver mentindo, você ainda assim seria culpado, pois você estaria se referindo a Javé. De qualquer forma, Jesus nos ac…

Deus castiga sim

Muitas pessoas acham que Deus não castiga ninguém porque ele é amor, e que tudo de ruim que acontece com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações.
Elas explicam que muitas pessoas adquirem câncer porque fumam muito, outras adquirem várias doenças porque se alimentam mal, outras sofrem acidentes porque se arriscam desnecessariamente, ou seja, não é Deus que está castigando essas pessoas, mas elas mesmas cometem maus atos que causam essas coisas ruins a elas.
No entanto, o que essas pessoas não consideram é que o fato de Deus permitir que as pessoas sofram as consequências de suas más ações já pode ser considerado um castigo dele, pois ele poderia livrá-las dessas consequências.
Além disso, muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas não são consequências lógicas de suas más ações. Por exemplo: uma pessoa está andando na calçada cuidadosamente quando de repente um carro desgovernado a atropela; uma pessoa está dirigindo atentamente um carro quando de repente uma árvo…