Pular para o conteúdo principal

Pecados leves vs. pecados graves



Há pessoas que acreditam que não existe um pecado mais grave do que o outro. No entanto, a Bíblia mostra que Deus não considera todos os pecados igualmente graves. Ele faz distinção entre pecados. 

Em Gênesis 18:20 Deus diz que os pecados de Sodoma e Gomorra se tornaram tão graves a ponto de ele ter que intervir para resolver a situação. Em Êxodo 32:31 Moisés diz a Deus que seu povo cometeu um grande pecado ao fazer o bezerro de ouro para adorar. De fato, a idolatria é um dos pecados mais graves que existem. 

Em Mateus 12:31-32 Jesus disse que todos os pecados podem ser perdoados aos homens, menos o pecado da blasfêmia contra o Espírito Santo. Este pecado não será perdoado aos homens. Isso coloca esse pecado na categoria de muito grave, já que é um pecado que Deus não perdoa.

É importante deixar claro que o Espírito Santo é o próprio Deus Pai, e não um Deus distinto do Pai, que faz parte de uma trindade, como a maioria dos cristãos erroneamente acredita.

Em 1 João 5:16 a Bíblia diz que existe pecado pelo qual nem devemos orar a Deus pelos irmãos que o cometeram, que são os pecados mortais, o que pode incluir a blasfêmia contra o Espírito Santo. Isso também é mais uma prova de que Deus faz distinção entre pecados. No entanto, podemos orar a Deus pelos irmãos que cometeram pecados menos graves. 

Você acha que Deus considera, por exemplo, que o pecado de furtar um pão para matar a fome seja tão grave quanto o pecado de assassinar uma criança inocente? A gravidade de um pecado é medida pela punição que Deus dá a ele. 

No caso do furto de pão para matar a fome, vemos em Provérbios 6:30-31 que não se ofende um ladrão que faz isso, e a punição que ele terá será indenizar a vítima em quantidade maior. Por outro lado, a lei de Deus deixa claro que quem assassina um inocente deverá receber a pena de morte, conforme Levítico 24:21.

Ainda na passagem de Levítico 24:21, vemos que quem mata o animal de uma pessoa precisa apenas dar outro a ela, o que mostra mais uma vez a diferença de punição e gravidade entre os pecados. 

É importante ressaltar que hoje em dia não podemos aplicar a pena de morte ordenada por Deus, pois ela só podia ser aplicada no tempo em que existia o Templo de Deus em Israel, com os juízes designados por Deus para esse tipo de julgamento. A execução da pena daqueles que atualmente cometem pecados que merecem a pena de morte cabe apenas a Deus. 

Portanto, como vimos, existe sim pecadinho e pecadão. Que Deus perdoe nossos pecados e não nos permita praticar nenhum pecado imperdoável.

Comentários

  1. Eu entendi o que foi exporto no texto, mas acredito que no sentido não haver pecadinho ou pecadão, se dar na intenção de dizer que tudo é pecado independente da sua gravidade, pois na lei não há justificação; "Porque o salário do pecado é a morte,"... Rm 6:23.
    Por favor, pode me corrigir se eu estiver errada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo seu ponto de vista Ingrid. De fato, toda desobediência da lei de Deus, independentemente de sua gravidade, é pecado. Mas o que eu quis mostrar é que, para Deus, cada pecado tem seu nível de gravidade, e que isso determina como Deus tratará o pecador.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O grave pecado do sexo no período menstrual

Fazer sexo durante o período menstrual é um pecado grave. Deus instituiu uma lei proibindo essa prática, veja:
"Não se aproxime de uma mulher para se envolver sexualmente com ela quando ela estiver na impureza da sua menstruação" 
(Levítico 18:19; Nova Versão Internacional).
Deus chegou até a determinar a pena de morte para os casais que fizessem sexo durante a menstruação, veja:
"Se um homem dormir com uma mulher durante a menstruação, e tiver relações sexuais, descobrindo a fonte do sangue, os dois serão eliminados do seu povo"
(Levítico 20:18; Edição Pastoral).
Embora a pena de morte por esse pecado não seja mais aplicada da forma como era aplicada nos tempos bíblicos, Deus ainda pode aplicá-la hoje em dia por meio de doenças ou outras tragédias. Portanto, nós devemos tomar muito cuidado para não cometermos esse pecado grave.

Mesmo assim, muitos casais cristãos não veem problema algum em ter relações sexuais durante o período menstrual, inclusive vários médicos a…

Os mandamentos que devemos cumprir segundo a Bíblia

Ame a Deus com todo o seu coração, e com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento, e com todas as suas forças (Deuteronômio 6:5; Marcos 12:28-30).Não tenha outros deuses (Êxodo 20:3; 1 João 5:21).Não faça para você alguma imagem esculpida que represente um deus. Não se prostre diante dessas imagens e nem diante do Sol, da Lua e das estrelas, e não os sirva (Êxodo 20:4-5; Deuteronômio 4:19; 1 João 5:21).Não use o nome de Deus em vão, isto é, não use o nome de Deus para fazer um falso juramento ou para mentir, pois Deus não considerará inocente aquele que usar seu nome em vão. É importante notar que o nome de Deus não é "Deus", mas sim Javé. No entanto, mesmo que você faça um falso juramento sem usar especificamente o nome de Javé, dizendo, por exemplo, "Juro por Deus que vou fazer isso" ou "Juro por Deus que isso aconteceu", e você estiver mentindo, você ainda assim seria culpado, pois você estaria se referindo a Javé. De qualquer forma, Jesus nos ac…

Deus castiga sim

Muitas pessoas acham que Deus não castiga ninguém porque ele é amor, e que tudo de ruim que acontece com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações.
Elas explicam que muitas pessoas adquirem câncer porque fumam muito, outras adquirem várias doenças porque se alimentam mal, outras sofrem acidentes porque se arriscam desnecessariamente, ou seja, não é Deus que está castigando essas pessoas, mas elas mesmas cometem maus atos que causam essas coisas ruins a elas.
No entanto, o que essas pessoas não consideram é que o fato de Deus permitir que as pessoas sofram as consequências de suas más ações já pode ser considerado um castigo dele, pois ele poderia livrá-las dessas consequências.
Além disso, muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas não são consequências lógicas de suas más ações. Por exemplo: uma pessoa está andando na calçada cuidadosamente quando de repente um carro desgovernado a atropela; uma pessoa está dirigindo atentamente um carro quando de repente uma árvo…