Pular para o conteúdo principal

Os verdadeiros casos de possessão demoníaca



O fato de uma pessoa apresentar um comportamento agressivo, contorcendo-se com uma voz assustadora, não indica necessariamente que ela esteja possuída por um demônio. Afinal, essa pessoa pode ter algum problema mental ou pode até estar fingindo estar possuída.

Mas segundo a Bíblia, casos reais de possessão demoníaca existem, e alguns dos sinais desse fenômeno são: força extraordinária e comportamento violento (Marcos 5:4), atos suicidas (Marcos 9:22), não sentir constrangimento ao exibir partes íntimas do corpo (Lucas 8:27), capacidade de adivinhar algo a respeito de pessoas desconhecidas (Atos 16:16-18), sentir-se atormentado ao se confrontar com pessoas de Deus ou objetos sagrados (Marcos 5:7; Mateus 8:29; Atos 19:12) etc.

A medicina e a ciência em geral consideram boa parte desses comportamentos como distúrbios mentais. No entanto, se você pesquisar na internet, você vai descobrir sinais ainda mais bizarros: capacidade de mudar a cor dos olhos, capacidade de ler a mente de pessoas próximas, capacidade de levitar a si mesmo e também fazer objetos levitarem, capacidade de falar outros idiomas sem necessidade de aprendê-los, e até mesmo capacidade de vomitar pregos, agulhas ou ainda pétalas de rosa.

O Doutor Richard Gallagher, um respeitado psiquiatra e professor da universidade New York Medical College, passou boa parte de sua vida estudando atividades demoníacas e exorcismos ao longo da história e acredita que testemunhou mais casos do que qualquer outro psiquiatra no mundo.

Em seu livro "Demonic Foes: My Twenty-Five Years as a Psychiatrist Investigating Possessions, Diabolic Attacks, and the Paranormal" (Inimigos demoníacos: meus vinte e cinco anos como psiquiatra investigando possessões, ataques diabólicos e o paranormal, em tradução livre), ele narra casos impressionantes.

Um dos mais impressionantes ocorreu quando ele foi chamado por um padre exorcista para examinar uma mulher atormentada. Ao chegar no local onde estava a mulher, ela estava se contorcendo e falando com tons de vozes horríveis. Ele ainda diz que viu objetos voando das prateleiras ao redor dela, e ouvia a mulher falando fluentemente latim e vários outros idiomas.

A mulher ainda disse ao Dr. Richard que sabia que a mãe dele havia morrido após uma longa batalha contra um câncer de ovário, o que realmente ocorreu. Ela sabia até de fatos triviais que haviam ocorrido na vida dele, como, por exemplo, que dois gatos haviam brigado na casa dele na noite anterior. 

O Dr. Richard conta ainda que, em uma certa noite, ele estava falando ao telefone com o padre exorcista que o chamou para ver essa mulher, quando, de repente, os dois ouviram uma das vozes demoníacas que saíram da mulher durante a possessão, sendo que ela estava longe deles, a milhares de quilômetros de distância.

Após acompanhar o caso dessa mulher, ele diz que chegou a conclusão que possessão demoníaca é um fenômeno real. Em um outro caso, o Dr. Richard conta que viu uma mulher de 40 quilos jogando um diácono luterano de 90 quilos pelo salão de uma igreja.

Atualmente, o Dr. Richard ajuda padres e outros religiosos a distinguirem entre casos de doenças mentais e casos de possessão demoníaca. Afinal, nem sempre é fácil distinguir entre as duas situações, já que pessoas com problemas mentais também podem apresentar alguns dos comportamentos típicos de uma possível possessão demoníaca.

Outro respeitado psiquiatra americano, o Dr. Jeffrey Lieberman, especializado em esquizofrenia, autor do livro "Shrinks: The Untold Story of Psychiatry" (Psiquiatras: A história não contada da psiquiatria, em tradução livre), ficou impressionado com um caso de uma mulher que ele atendeu.

Ele conta que ele e uma terapeuta tentaram durante meses tratar o caso dessa mulher, mas sem sucesso, e eles chegaram a desistir do caso. Mas durante o tratamento, após o final de algumas sessões, ele ia para casa e presenciava diversos fenômenos estranhos: as luzes apagavam sozinhas, fotografias e quadros caíam ou deslizavam das prateleiras, e ele ainda sentia uma forte dor de cabeça.

Quando ele contou esses fatos para a terapeuta que o ajudou no caso, ela disse que as mesmas coisas estavam acontecendo com ela. O Dr. Jeffrey diz que não consegue explicar esses acontecimentos e acredita que o fenômeno de possessão demoníaca pode ser real.

É importante ressaltar que todos estes sinais não têm uma comprovação científica, pois ainda não há nenhum estudo científico que apresente alguma evidência de que esses fenômenos possam ser reais. O que temos são apenas relatos pessoais de psiquiatras, terapeutas, padres exorcistas e outros religiosos que presenciaram esses fenômenos.

De qualquer forma, para aqueles que acreditam na Bíblia, todos esses acontecimentos estranhos presenciados por esses psiquiatras americanos podem sim ser verdadeiros casos de possessão demoníaca. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O grave pecado do sexo no período menstrual

Fazer sexo durante o período menstrual é um pecado grave. Deus instituiu uma lei proibindo essa prática, veja:
"Não se aproxime de uma mulher para se envolver sexualmente com ela quando ela estiver na impureza da sua menstruação" 
(Levítico 18:19; Nova Versão Internacional).
Deus chegou até a determinar a pena de morte para os casais que fizessem sexo durante a menstruação, veja:
"Se um homem dormir com uma mulher durante a menstruação, e tiver relações sexuais, descobrindo a fonte do sangue, os dois serão eliminados do seu povo"
(Levítico 20:18; Edição Pastoral).
Embora a pena de morte por esse pecado não seja mais aplicada da forma como era aplicada nos tempos bíblicos, Deus ainda pode aplicá-la hoje em dia por meio de doenças ou outras tragédias. Portanto, nós devemos tomar muito cuidado para não cometermos esse pecado grave.

Mesmo assim, muitos casais cristãos não veem problema algum em ter relações sexuais durante o período menstrual, inclusive vários médicos a…

Os mandamentos que devemos cumprir segundo a Bíblia

Ame a Deus com todo o seu coração, e com toda a sua alma, e com todo o seu entendimento, e com todas as suas forças (Deuteronômio 6:5; Marcos 12:28-30).Não tenha outros deuses (Êxodo 20:3; 1 João 5:21).Não faça para você alguma imagem esculpida que represente um deus. Não se prostre diante dessas imagens e nem diante do Sol, da Lua e das estrelas, e não os sirva (Êxodo 20:4-5; Deuteronômio 4:19; 1 João 5:21).Não use o nome de Deus em vão, isto é, não use o nome de Deus para fazer um falso juramento ou para mentir, pois Deus não considerará inocente aquele que usar seu nome em vão. É importante notar que o nome de Deus não é "Deus", mas sim Javé. No entanto, mesmo que você faça um falso juramento sem usar especificamente o nome de Javé, dizendo, por exemplo, "Juro por Deus que vou fazer isso" ou "Juro por Deus que isso aconteceu", e você estiver mentindo, você ainda assim seria culpado, pois você estaria se referindo a Javé. De qualquer forma, Jesus nos ac…

Deus castiga sim

Muitas pessoas acham que Deus não castiga ninguém porque ele é amor, e que tudo de ruim que acontece com as pessoas são consequências lógicas de suas más ações.
Elas explicam que muitas pessoas adquirem câncer porque fumam muito, outras adquirem várias doenças porque se alimentam mal, outras sofrem acidentes porque se arriscam desnecessariamente, ou seja, não é Deus que está castigando essas pessoas, mas elas mesmas cometem maus atos que causam essas coisas ruins a elas.
No entanto, o que essas pessoas não consideram é que o fato de Deus permitir que as pessoas sofram as consequências de suas más ações já pode ser considerado um castigo dele, pois ele poderia livrá-las dessas consequências.
Além disso, muitas coisas ruins que acontecem com as pessoas não são consequências lógicas de suas más ações. Por exemplo: uma pessoa está andando na calçada cuidadosamente quando de repente um carro desgovernado a atropela; uma pessoa está dirigindo atentamente um carro quando de repente uma árvo…